Conceito » História » Paz Armada (1870-1914)

Paz Armada (1870-1914) - Conceito, o que é, Significado

Entre 1870 e 1914, na Europa, houve um período sem conflitos bélicos de grande magnitude, mas no fundo havia uma tensão permanente entre as grandes potências. Por este motivo, os historiadores registraram esta etapa com um termo sugestivo, paz armada.

No período da Paz Armada, a figura chave foi o chanceler alemão Bismarck

Em 1870, o exército prussiano derrotou de maneira expressiva as tropas francesas na guerra franco-prussiana, assim, a França se viu obrigada a ceder seus territórios da Alsácia e Lorena. A primeira consequência deste episódio foi o desmantelamento da ordem mundial estabelecida no Congresso de Viena de 1815.

O chanceler Otto Von Bismarck institui o Império Alemão em 1871 e começa a tecer seu plano para que seu país se torne uma potência mundial. Para alcançar seu objetivo, Bismarck colocou em prática uma estratégia dupla: isolar a França do plano internacional para não aliar-se com outras potências (especialmente a Grã-Bretanha, a Rússia e o Império Austro-Húngaro) e, ao mesmo tempo, renunciar à expansão colonial para não inimizar-se com os britânicos.

Enquanto os alemães ativavam esta política, os franceses se concentravam na expansão de seu império colonial na África e na Ásia e desta maneira se tornaram rivais dos britânicos, pois estes também tinham aspirações expansionistas.

Os planos de Bismarck declinam e se inicia um período de tensão que acabaria provocando a Primeira Guerra Mundial

As intenções de Bismarck começaram a enfraquecer quando dois de seus aliados (a Rússia e o Império Austro-Húngaro) pretenderam controlar o território dos Bálcãs em detrimento do Império Otomano. Desta maneira, em 1878, os russos derrotaram militarmente os turcos otomanos e acabaram controlando o território da Bulgária. Isto coloca em perigo a estabilidade europeia e após uma conferência em Berlim, a Rússia é pressionada a renunciar seus interesses nos Bálcãs.

Bismarck articula novas estratégias e se alia ao Império Austro-Húngaro e à Itália. Em segredo, Alemanha e Rússia fazem um pacto de colaboração apesar de serem oficialmente potências com interesses opostos.

O sistema de equilíbrio promovido por Bismarck dá um giro com o novo monarca alemão: Guillermo II. Em 1890, Guillermo chega ao poder, destitui Bismarck como chanceler e expressa seu desejo de transformar a Alemanha em um império, da mesma forma que a Grã-Bretanha e a França.

Uma das primeiras medidas a ser adotada é romper a aliança secreta com os russos, que finalmente se aliam com os franceses por compartilhar o medo de uma Alemanha forte

Os alemães começaram a construir uma poderosa frota para ampliar seus domínios coloniais, só que logicamente os britânicos reagiram e se aliaram com os franceses para conter o imperialismo alemão.

Como consequência de todos estes movimentos e alianças foram criados dois eixos na Europa: a Alemanha, o Império Austro-Húngaro e a Itália contra um bloco formado pela Grã-Bretanha, França e Rússia. Este panorama tenso e convulsivo foi o preâmbulo da Primeira Guerra Mundial que teve início em 1914.

Imagem: Fotolia. Takashi

Relacionados:

  1. Guerra dos Sete Anos
  2. Plano Marshall
  3. Império Austro-Húngaro (1867-1919)
  4. Guerras Púnicas
  5. Guerra dos Mil Dias
  6. Guerra Fria
  7. Superpotência
  8. Almirante
  9. Guerra Psicológica
  10. Batalha de Poitiers