Conceito » Saúde » Manobra de Kristeller

Manobra de Kristeller - Conceito, o que é, Significado

É uma manobra realizada durante o parto para facilitar a expulsão do feto. Seu uso é discutido, uma vez que após sua aplicação podem ocorrer complicações sérias tanto para a mãe como para o feto.

Este procedimento foi usado inicialmente por Samuel Kristeller, em 1867, com o objetivo de ajudar mulheres que tinham fracas contrações uterinas.

Em que consiste a Manobra de Kristeller?

É um procedimento da qual, após a dilatação do colo do útero, um ajudante fica ao lado da mãe e aplica compressão com as mãos sobre o fundo do útero. Isso aumenta a pressão intrauterina facilitando a expulsão do feto.

Esta compressão é efetuada durante cada contração, mantendo-se por um período de 5 a 8 segundos e seguida de um descanso.

Complicações associadas à aplicação deste procedimento

- Ruptura uterina. É a complicação menos frequente, porém a mais temida devido ao alto risco de mortalidade da mãe e do feto. Seu risco aumenta quando a manobra é aplicada a uma mulher que se encontra em parto natural, mas que tem uma cicatriz uterina prévia seja por uma cirurgia cesariana anterior ou uma cirurgia uterina. A ruptura do útero pode ocorrer também em uma mulher que não tem cicatrizes no útero.

- Rasgo. Após a manobra é possível que a expulsão do feto ocorra de forma brusca, o que leva os tecidos da vagina, da vulva e da área perianal a não esticar, mas sim rasgar, podendo também romper os vasos sanguíneos locais e causar hemorragias, ou os músculos do esfíncter anal ou vesical, favorecendo o aparecimento da incontinência após o parto.

- Lesões fetais. É possível que a pressão aplicada ao útero afete o feto, causando fraturas ou traumatismos craniais.

- Dificuldades no parto. A aplicação desta manobra está relacionada às complicações que dificultam a expulsão do feto, como a impactação dos ombros no canal do parto, conhecida como distocia do ombro, o que requer a aplicação de manobras por um obstetra experiente para poder encaminhar o parto a um final feliz.

Deve continuar sendo realizada?

Muitos especialistas na área de obstetrícia consideram esta técnica um procedimento obsoleto, pois é arriscado e ineficaz, por isso recomenda-se eliminá-lo das salas de parto. Vários países europeus, entre eles a Espanha e o Reino Unido, proíbem expressamente o seu uso.

Os textos atuais sobre obstetrícia não a reportam nem a descrevem. Em vez disso, procuram ser mais conservador em relação ao processo normal de parto, respeitando o tempo que cada mulher necessita para dar à luz a seus filhos.

Imagens Fotolia: Lolo, Jasmin Merdan

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: