Conceito » Ecología » Asteroidea (estrela-do-mar)

Asteroidea (estrela-do-mar) - Conceito, o que é, Significado

As diversas espécies de estrelas-do-mar constituem um mesmo grupo de animais invertebrados. Na classificação das espécies ou taxonomia, estes animais fazem parte da classe asteroidea.

Certos organismos que nos fazem lembrar as estrelas do firmamento

A denominação asteroidea tem uma explicação lógica, uma vez que o aparecimento destes invertebrados é bem similar ao de algumas estrelas do firmamento. Neste sentido, deve-se destacar que a palavra asteroide foi empregada pela primeira vez pelo astrônomo inglês William Herschel para designar os corpos celestiais que se parecem como as estrelas, mas que na realidade não são.

Organismos fascinantes

Do ponto de vista da classificação das espécies, as estrelas-do-mar não são peixes, mas sim equinodermos (o ouriço-do-mar e as ofiuroides também fazem parte desta classificação).

Estes organismos não têm cérebro e sangue. Enquanto a maioria possui cinco braços, algumas espécies podem chegar a ter uns cinquenta (por exemplo, a estrela-do-mar antártica). Tanto seus braços como seu corpo podem regenerar-se por completo.

Seus braços nascem do disco central de seu corpo e abaixo dessa estrutura se encontra a boca da estrela.

Estes equinodermos tem uma pele calcificada que serve de proteção contra a ameaça de predadores. Da mesma forma, a pele possui cores brilhantes com o fim de assustar seus possíveis agressores.

Sua estrutura corporal apresenta diferentes texturas, já que algumas espécies são lisas e outras espinhosas ou granuladas. De qualquer forma, todas são cobertas por placas ósseas sobrepostas.

Seu sistema nervoso não está centralizado, pois são capazes de perceber seu entorno de qualquer parte do seu organismo (as células sensoriais da sua pele permitem perceber a luz ou a ação das correntes marinhas).

A maioria das espécies mede entre 12 e 24 cm de diâmetro. Esta regra geral tem exceções, pois algumas espécies possuem uns milímetros e outras medem mais de um metro.

Em termos de distribuição, estão presentes em todos os oceanos do planeta, tanto nas águas frias como nas tropicais, em áreas costeiras ou a milhares de metros da superfície. No entanto, não existem em água doce.

A simetria radial destes animais invertebrados é uma de suas características mais singulares (a simetria da estrela-do-mar é semelhante à dos ouriços-do-mar em seu esqueleto).

Em relação à sua alimentação, levam uma dieta carnívora de pequenos organismos invertebrados, como mariscos e ostras. Para alimentar-se das presas, coloca seus pés sobre as mesmas e posteriormente segrega uma substância anestésica que as paralisa.

Estes invertebrados marinhos têm uma atividade maior durante a noite. Seus deslocamentos são possíveis devido à ação de seus pés de tubo que incorporam umas ventosas adaptadas às profundezas do meio marinho.

Imagem Fotolia: kseniyaomega

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: