Conceito » História » Guerrilheiros de Cristo Rei

Guerrilheiros de Cristo Rei - Conceito, o que é, Significado

Nos anos anteriores à morte do ditador Francisco Franco surgiram diferentes grupos de oposição ao regime franquista. Foram consolidados sindicatos, associações universitárias, grupos marxistas e de cristãos progressistas, assim como grupos separatistas. Todos se encontravam na clandestinidade e em seus diversos campos de atuação expressavam rejeição ao totalitarismo franquista. Neste contexto, alguns grupos terroristas de direita foram formados, entre eles, os Guerrilheiros de Cristo Rey.

O principal objetivo desta organização era neutralizar os diversos grupos antifranquistas.

Terrorismo de ideologia fascista

Guerrilheiros de Cristo Rei foi uma organização terrorista de ideologia neofascista marcada. Durante os anos da Transição Espanhola, seus membros realizaram todo tipo de ações violentas, como assassinatos, espancamentos, lançamentos de explosivos, intimidações telefônicas, ataques a instalações, etc.

As livrarias e os meios de comunicações foram alguns de seus alvos preferidos.

Seu grito de guerra "Viva Cristo Rei!" recorda os bordões utilizados pelos cruzados medievais que lutaram contra o Islã. Um de seus atos violentos mais comuns consistia em invadir um local "inimigo" e obrigar o público a cantar "Cara al sol", um dos hinos mais representativos dos franquistas.

Embora não haja documentação suficiente sobre esta organização, acredita-se que seu fundador foi um ex-membro da Divisão Azul (os soldados que foram enviados por Franco à frente soviética para apoiar o regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial).

Como outros grupos terroristas de características similares, os Guerrilheiros de Cristo Rei se opunham à democracia na Espanha e defendiam os princípios do franquismo

Neste sentido, seus inimigos eram muitos: comunistas, universitários revolucionários, sacerdotes contrários à igreja oficial, terroristas de esquerda, separatistas, etc.

Nas diversas investigações históricas, acredita-se que este grupo contava com o apoio do estado durante os primeiros anos da Transição.

Seus membros se consideravam patriotas que se defendiam das provocações

Toda organização terrorista tem ideais e inimigos. No entanto, em um estado de direito e em um país democrático seus procedimentos não podem ser aceitos.

Aqueles que faziam parte desta organização se viam como patriotas obrigados a defender-se de grupos "desestabilizadores".

Seus principais adversários foram os diversos bandos terroristas inspirados por uma ideologia marxista e nacionalista (GRAPO, FRAP, ETA, entre outros).

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: