Conceito de Senhor dos Milagres (Peru)

O povo peruano é predominantemente católico e a manifestação religiosa mais importante do país ocorre no mês de outubro, quando uma procissão é celebrada em memória do Jesus Cristo crucificado.

Este evento é popularmente conhecido como uma denominação: o Senhor dos Milagres. Também conhecido como Procissão do Cristo Moreno.

Uma tradição católica que está relacionada à Pachacamac, uma divindade do Peru pré-hispânico.

Antes da chegada dos espanhóis ao território do Peru, os habitantes da cultura ichma e em seguida os incas veneraram Pachacamac, o deus que protegia os homens dos tremores da Terra. Quando os espanhóis conquistaram o Peru, as representações de Pachacamac foram destruídas.

As autoridades coloniais impuseram a proibição dos cultos andinos ancestrais e iniciaram um processo de evangelização na fé católica. Neste contexto, os espanhóis introduziram a figura de Jesus Cristo como se fosse um novo monarca inca com poderes divinos. Assim, o culto à Pachacamac foi evoluindo até chegar ao culto a Jesus Cristo.

A origem da devoção ao Senhor dos Milagres

Com as novas devoções provenientes do mundo ocidental, os andinos foram assimilando o culto aos santos e a Jesus Cristo. Por volta de 1550, o espanhol Hernán Gonzalez tomou a decisão de transportar um grupo de índios nativos que trabalhavam nas terras próximas ao santuário de Pachacamac para umas terras de sua propriedade situada na Cidade dos Reis, a atual cidade de Lima. Por este motivo, os nativos denominaram este lugar como Pachacamilla e ali mantiveram seu culto primitivo à Pachacamac.

Em Pachacamilla houve um processo de sincretismo religioso entre o culto originário dos andinos e a religião católica. Com o passar do tempo, a população autóctone foi diminuindo e chegaram novos colonos escravos de origem angolana.

Os africanos assimilaram a cultura espanhola e começaram a organizar confrarias com o propósito de enterrar dignamente seus familiares. Formou-se assim a confraria de Pachacamilla composta por afro-peruanos.

Enquanto isso, o Cabildo de Lima observava com receio as confrarias, pois estes grupos organizavam atos festivos que não contavam com a aprovação dos representantes da Igreja Católica. Neste contexto, em 1651, um escravo negro da confraria de Pachacamilla pintou na parede de sua varanda a imagem do Cristo crucificado.

Em pouco tempo, a população começou atribuir poderes milagrosos à imagem

Em 1655, um forte terremoto provocou grande destruição em toda a cidade, mas a parede onde estava a imagem de Jesus Cristo permaneceu em pé. Desta maneira, surgiu espontaneamente a tradição peruana do Senhor dos Milagres.

Esta imagem se encontra no Altar Maior do Santuário das Nazarenas.

Referencia autoral

Publicado em jun., 2018. Pela equipe Editorial de Conceitos. Disponível em https://conceitos.com/senhor-dos-milagres/. São Paulo, Brasil.

Especiais na categoría

Copyright © 2010 - 2022. Conceitos - Informação de Privacidade - Sobre - Contato