Incenso - Conceito, o que é, Significado

É possível extrair aromas de algumas plantas, sementes e resinas naturais Isso é o que acontece com o incenso, que pode ser elaborado a partir da mistura de vários elementos: resinas de madeira, gomas vegetais, óleos essenciais, raízes e folhas.

Pode ser apresentado em várias modalidades: varas de bambu, cones, líquidos ou grãos. Estes elementos são queimados para que desprendam uma fumaça aromática. Assim, as essências das substâncias empregadas evaporam e uma fumaça com efeitos aromáticos é liberada. O recipiente da qual se prepara este aroma é o incensário.

Os antigos egípcios foram os primeiros a utilizar o incenso

Do ponto de vista histórico, o aroma do incenso tem sido utilizado por diversas civilizações, especialmente do campo religioso. Cada tipo de mistura tinha uma função específica. O uso deste aroma tem mais de cinco mil anos de história.

No Egito Antigo esta substância foi mais valorizada do que alguns metais. Era usada originariamente para desmascarar o intenso odor da carne durante o abate e para reduzir o odor da pele dos animais. Também foi empregada em alguns rituais sexuais e amorosos, no processo de embalsamamento, na cura de doenças e nas cerimônias sagradas.

Há várias referências sobre o incenso na Bíblia

Sabemos que os povos pagãos utilizavam o incenso para diversos fins: para aliviar a sensação de calor, eliminar o mau cheiro ou afastar os maus espíritos. No episódio do encontro entre os Reis Magos e Jesus aparecem três presentes de grande valor simbólico: incenso, ouro e mirra.

Os astecas dominavam a elaboração desta substância, pois acreditavam que seu aroma potencializava as capacidades psíquicas e, por outro lado, servia para acompanhar as almas dos mortos em sua viagem final.

Na atualidade, continua sendo utilizado nas circunstâncias em que se busca o relaxamento físico e mental, assim como em algumas técnicas de meditação ou simplesmente para que o lar tenha um aroma agradável.

No budismo tibetano também se queima incenso

Para aqueles que praticam esta doutrina religiosa, o aroma do incenso tem um significado complexo. Por um lado, ajuda a purificação no processo de meditação.

Por outro lado, o aroma que proporciona é um símbolo da alma humana (o recipiente onde se queima representa o indivíduo e a fumaça que desprende simboliza o efeito de nossas ações sobre o conjunto do universo).

Por último, é usado como oferenda nos altares dos templos budistas.

Imagem: Fotolia. age

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: