Conceito » Saúde » Cicatriz Atrófica, Hipertrófica e Queloide

Cicatriz Atrófica, Hipertrófica e Queloide - Conceito, o que é, Significado

A cicatrização é um processo imprescindível para o fechamento de feridas. Durante anos, este tem sido um tema de grande importância para os cirurgiões, pois muitas vezes apesar dos cuidados adequados, as feridas podem adquirir uma aparência elevada ou afundada tornando-as mais visíveis.

Estas variantes no reparo de feridas estão relacionadas às falhas na produção de colágeno. Esta proteína é um dos principais componentes da pele e é produzida por umas células chamadas fibroblastos durante o processo de reparo.

Cicatriz atrófica

Corresponde ao desenvolvimento de um tecido cicatricial que faz com que a ferida tenha uma aparência afundada em relação à pele circundante.

As cicatrizes elevadas podem tornar-se atróficas como consequência do tratamento com esteroides para melhorar sua aparência estética.

Cicatriz hipertrófica

Consiste em uma cicatriz em relevo, geralmente de tom mais escuro que a pele local ou de cor avermelhada acompanhada de coceira.

Neste tipo de lesão a proliferação do tecido vai além da superfície da pele. Seu surgimento está relacionado a fatores como a tensão sobre a ferida e começa a manifestar-se desde as primeiras fases de reparo da lesão.

Queloide

São cicatrizes elevadas de cor avermelhada ou roxa devido a um excesso na formação de novas fibras. Estas lesões não estão relacionadas a fatores como a tensão sobre as feridas e podem aparecer inclusive vários meses após a ocorrência da lesão.

A diferença entre uma cicatriz hipertrófica e uma queloide significa que esta última vai além dos limites da ferida, podendo estender-se à pele saudável circundante. Quando localizada próxima às articulações, a fibrose da pele pode ocasionar limitação para realizar os movimentos articulares.

Fatores de risco para desenvolver cicatrizes elevadas

Vários estudos confirmaram que estas lesões são mais comuns nas populações de pele escura, como é o caso dos africanos e dos latinos afrodescendentes. Estas populações têm até 20 vezes mais risco de desenvolver uma cicatrização anormal nas feridas.

Outros fatores de risco incluem ter menos de 30 anos, ter antecedentes com tendência a desenvolver estas lesões entre seus familiares ou que as lesões estejam localizadas no nível das orelhas, dos ombros ou do peito.

Tratamento das cicatrizes

As cicatrizes hipertróficas e as queloides podem melhorar com várias intervenções, entre as quais podemos destacar:

- Aplicação de pressão local

- Evitar coçar e cobri-las com adesivos de silicone

- Injeções locais na cicatriz com esteroides

- Aplicação de raio laser

- Ressecção com cirurgia.

A cirurgia é útil para eliminar as cicatrizes hipertróficas. No caso das queloides, o risco de reaparecerem após a ressecção pode chegar a 100%, portanto este método não é mais utilizado, sendo preferível o uso de terapias locais já descritas ou tratamentos mais agressivos como a radioterapia ou a aplicação de medicamentos com efeito tóxico sobre as células, como as utilizadas na quimioterapia, no interior da lesão.

Imagem: Fotolia. scio21

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: