Conceito de Aprendizagem

Lilén Gomez | Outubro 2022
Professora de Filosofia

Em geral, a aprendizagem pode ser definida como uma transformação mais ou menos permanente do comportamento, ou seja, das associações ou representações mentais, que são o resultado de uma determinada experiência. No entanto, nem toda experiência que provoca uma mudança de comportamento é considerada aprendizagem, mas, para ser caracterizada dessa forma, essa mudança deve ter alguma dimensão voluntária ou ativa.

AprendizagemPor exemplo, se considera aprendizagem a incorporação de uma sequência de passos para amarrar os cadarços ou a introdução de uma segunda língua, mas não é considerada aprendizagem a alteração de comportamentos como consequência de uma doença. Entretanto, em determinadas casos, algumas aprendizagens ocorrem de forma não totalmente consciente, por exemplo, quando recém-nascidos incorporam a língua materna ou quando crianças pequenas aprendem a andar.

Não só os seres humanos têm a capacidade de aprender, mas todos os seres vivos, que aprendem a adaptar seu comportamento ao ambiente que os cerca. No mesmo sentido, deve-se notar que a aprendizagem não se reduz apenas aos contextos educacionais, mas também ocorre em diversas áreas da vida.

Teorias da aprendizagem

Por volta do século XVII, o estudo da aprendizagem foi assumido dentro do campo científico por diferentes disciplinas, como por exemplo, a psicologia. Dentro desse campo do conhecimento, duas grandes correntes teóricas podem ser mencionadas de maneira geral: por um lado, o behaviorismo (ou condutivismo), que entende a aprendizagem como uma modificação observável do comportamento dos indivíduos; e, por outro lado, o cognitivismo, o qual explica a aprendizagem apenas em termos dos processos de pensamento realizados pelos indivíduos. Uma terceira corrente é composta pela teoria psicossocial, que postula a aprendizagem como resultado das interações entre o indivíduo e o ambiente social.

Teoria construtivista

Seguindo a abordagem do pedagogo Jean Pieaget (1896-1980), a aprendizagem é o resultado de processos de acomodação e assimilação, por meio dos quais os indivíduos constroem novos conhecimentos a partir da experiência. Quando a experiência coincide com as representações internas do mundo, então essa experiência é assimilada em uma estrutura cognitiva já existente.

A teoria condutista

Por sua vez, a teoria condutista ou comportamental, cujo principal referente é o psicólogo B. F. Skinner (1904-1990), propõe certas leis gerais que regem o comportamento dos seres vivos. A aprendizagem, desse ponto de vista, consiste em uma mudança observável no comportamento, que é condicionada por recompensas ou reforços.

Quando um estímulo neutro é seguido por outro, o primeiro é reforçado ou condicionado pelo segundo, em virtude do princípio de associação, que conecta ambos os estímulos. Assim, diante de um determinado estímulo, se estiver associado a um reforço positivo, aprende-se que o primeiro leva ao segundo, para que, posteriormente, o comportamento seja moldado de tal forma que seja orientado para a busca do referido primeiro estímulo, para obter o segundo. Por outro lado, quando o primeiro estímulo é seguido por um reforço negativo, o comportamento será então moldado de forma a evitar esse estímulo.

A teoria comportamental foi amplamente criticada, pois enfoca os determinantes ambientais do comportamento, enquanto a agência do sujeito sobre suas ações é diminuída.

Ensino e aprendizagem

A aprendizagem, no contexto educacional, não pode ser dissociada do ensino, na medida em que se estabelece uma relação mútua entre ambos os processos. O ensino é entendido como o arranjo deliberado de instruções que facilitam a aquisição de um objetivo de aprendizagem pelo indivíduo, que pode consistir em conhecimento, saber, modos de fazer, estratégias, procedimentos, atitudes, valores, entre outros.

Em contextos educacionais —instituições formais de ensino, como escola ou universidade, ou informais, como, por exemplo, espaços autônomos de formação—, os professores apresentam determinados estímulos ajustados ao processo de aprendizagem dos alunos, por meio dos quais chegam a determinados objetivos de aprendizagem previamente delineadas.

Artigo de: Lilén Gomez. Professora de Filosofia, com desempenho em ensino e pesquisa em áreas da Filosofia Contemporânea.

Referencia autoral (APA): Gomez, L.. (Outubro 2022). Conceito de Aprendizagem. Editora Conceitos. Em https://conceitos.com/aprendizagem/. São Paulo, Brasil.

Copyright © 2010 - 2022. Editora Conceitos, pela Onmidia Comunicação LTDA, São Paulo, Brasil - Informação de Privacidade - Sobre - Contato