Conceito de Conhecimento

Lilén Gomez | Janeiro 2023
Professora de Filosofia

O conhecimento é o resultado do processo de aquisição de entendimento ou conhecimento sobre algo, seja um objeto, uma prática, um conceito teórico, etc. A definição do que é o conhecimento é variável de acordo com as diferentes correntes que ocorreram ao longo da história do pensamento no campo da epistemologia, ou seja, o estudo filosófico sobre os fundamentos do saber.

Conhecimento na antiguidade

A teoria epistemológica proposta por Platão (427 – 347 a.C.) na Grécia clássica tem sido uma das mais influentes em toda a história do pensamento ocidental. Segundo ela, podemos conhecer graças à nossa capacidade intelectual, em oposição à ordem de nossas faculdades sensitivas. O conhecimento válido advém da razão, que nos aproxima das verdades universais e necessárias contidas nas Ideias, pertencentes ao mundo supra-sensível.

A epistemologia proposta por Platão é, a rigor, uma epistemologia, na medida em que o filósofo identifica o conhecimento dentro do marco científico, em oposição à mera opinião. Aristóteles (384 – 322 a. C.), por sua vez, difere do platonismo, na medida em que introduz a ideia de que o intelecto apreende as formas como imagens, ou seja, a intelecção é sustentada necessariamente pela sensação, embora a mesma seja diferenciada.

Teorias modernas sobre o conhecimento

A teoria epistemológica que marca a modernidade filosófica é, em primeira instância, o racionalismo de René Descartes (1596-1650). Descartes postula que o conhecimento pertence apenas à faculdade cognitiva, a razão e, portanto, a ciência forma uma unidade em si; portanto, é possível avançar de forma ordenada de um conhecimento a outro, seguindo um método — a saber, o método matemático-dedutivo. A matemática aparece como um saber indubitável, pois suas regras não admitem verdade ou falsidade, portanto, funciona como modelo metodológico aplicável a problemas empíricos. Com base nessa ideia, Descartes formulará sua teoria epistemológica, baseada na evidência do ego cogito —penso, logo existo— e nas regras do método.

As teorias empiristas do conhecimento responderão ao racionalismo cartesiano, que sustenta a ideia de que não conhecemos graças à nossa faculdade racional, mas apenas graças às percepções dos nossos sentidos. David Hume (1711-1776), um dos maiores expoentes desta corrente, chegou a questionar a ideia de identidade pessoal, bem como a unidade da mente, desde que esta seja fruto de uma mera justaposição de percepções.

Conhecimento a partir da visão de Kant

Com a crítica ou idealismo transcendental de Immanuel Kant (1724-1804) introduziu-se uma virada radical na concepção do conhecimento. Kant recupera ideias de racionalismo e empirismo; no entanto, ambas as correntes entendiam o processo de conhecer como uma relação entre o sujeito cognoscente e o objeto do conhecimento de tal forma que o primeiro se aproximava do segundo para conhecê-lo. A partir de Kant, o conhecimento passa a ser entendido como um processo construtivo. É o sujeito que constitui o objeto, a partir das estruturas mentais que compõem sua subjetividade, que independem da experiência, mas que exigem que ela seja preenchida com conteúdo. Com o idealismo kantiano, o sujeito deixa de ser um receptor passivo de estímulos externos e passa a ser um agente produtor de conhecimento.

Conhecimento na perspectiva de hoje

A chamada virada copernicana introduzida por Kant, uma vez que o sujeito se torna ativo na produção do conhecimento, abre as portas para considerar as condições em que esse sujeito produz o conhecimento. Na contemporaneidade, as condições históricas de produção do conhecimento, atravessadas pelas dimensões política, econômica e social, tornar-se-ão o centro das reflexões filosóficas. Com autores como Michel Foucault (1926-1984), abre-se no campo do conhecimento a questão sobre as configurações desse saber a partir de uma perspectiva ética. Uma vez que o conhecimento deixa de ser uma aproximação da verdade para “a própria verdade”, torna-se possível questionar quais são os efeitos e objetivos de certas articulações do conhecimento.

Artigo de: Lilén Gomez. Professora de Filosofia, com desempenho em ensino e pesquisa em áreas da Filosofia Contemporânea.

Referencia autoral (APA): Gomez, L.. (Janeiro 2023). Conceito de Conhecimento. Editora Conceitos. Em https://conceitos.com/conhecimento/. São Paulo, Brasil.

  • Compartilhar
Copyright © 2010 - 2023. Editora Conceitos, pela Onmidia Comunicação LTDA, São Paulo, Brasil - Informação de Privacidade - Sobre