Conceito » História » Alfabeto Grego

Alfabeto Grego - Conceito, o que é, Significado

O alfabeto ou abecedário é um conjunto de símbolos empregados em um sistema de comunicação. O grego apresenta um total de 24 signos ou grafias e do ponto de vista histórico é considerado o primeiro alfabeto completo, já que cada vogal e cada consoante correspondem a um símbolo diferente.

Provém das letras usadas pelos fenícios, mas com três letras a mais. Os etruscos adaptaram este alfabeto à sua língua e, por outro lado, os latinos adaptaram o sistema etrusco à sua própria língua. Por este motivo, existem tantas coincidências entre o alfabeto grego e o latino.

Α α, Β β, Γ γ, Δ δ, Ε ε, Ζ ζ ...

A primeira letra é a alfa que equivale à A. A segunda é a beta que corresponde à B. A terceira é gama equivalente à C. A quarta é a delta, ou seja, a letra D. E assim completam um total de 24 letras. A língua grega em sua versão moderna é resultado de um processo evolutivo do grego clássico.

A partir do século IX a. C, os gregos adaptaram e modificaram sua escrita para o novo alfabeto que originariamente os fenícios haviam criado. Este fenômeno não deve ser interpretado do ponto de vista exclusivamente linguístico, mas sim comercial. Assim, a intensa atividade comercial dos fenícios obrigou os gregos a conhecer seu sistema de comunicação com o fim de intensificar as relações comerciais no Mediterrâneo.

Ao contrário das línguas semíticas, as escrituras gregas eram escritas e lidas da esquerda para a direita

Da mesma forma que os romanos, os gregos produziam textos sem interrupções, ou seja, sem espaço entre as palavras. Esta forma de escrita sem pausa era difícil de ler e por este motivo a leitura era feita em voz alta, pois assim ficava mais fácil o entendimento.

O primeiro suporte que pôde expressar as letras foi a cerâmica. Posteriormente foi utilizado o papiro, em seguida o pergaminho e finalmente o papel.

O alfabeto grego foi determinante para a história da humanidade

A palavra escrita foi um acontecimento cultural de primeira ordem, pois desta maneira já era possível desenvolver um sistema avançado de comunicação. Com os primeiros textos escritos foi possível escrever um livro. As primeiras civilizações usaram os livros com três objetivos principais: fazer um registro contábil das atividades econômicas, desenvolver um sistema legal e, logicamente, contar histórias e relatos.

Os livros foram e são um instrumento indispensável para a alfabetização. Durante séculos, os textos e documentos foram escritos à mão, mas a partir do século XV a imprensa entrou em ação e, então, iniciou-se uma nova fase no processo de alfabetização.

Imagem: Fotolia. petrroudny

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: