Conceito » História » Línguas Românicas

Línguas Românicas - Conceito, o que é, Significado

As línguas têm certa semelhança com os seres vivos, uma vez que nascem em um momento determinado e ao longo do tempo se desenvolvem e evoluem. Neste processo de transformação algumas línguas são extintas ou então se transformam.

O latim é a origem das diversas línguas românicas

As línguas românicas, também chamadas de línguas neolatinas ou latinas, formam uma família linguística, pois todas elas têm a mesma origem, o latim. As principais línguas pertencentes a esta família são as seguintes: espanhol, italiano, francês, português, catalão e romeno.

As estruturas gramaticais de cada uma têm semelhanças notáveis, uma vez que derivam do latim.

- A palavra januarius significa janeiro em português; gennaio em italiano; janvier em francês e enero em espanhol.

- O adjetivo bonum em latim equivale à bueno em espanhol; buono em italiano e bon em catalão.

- A palavra vizinho em português significa voison em francês, vecino em espanhol e veí em catalão.

As semelhanças entre as línguas românicas são de todo tipo, uma vez que compartilham o alfabeto, as semelhanças lexicais e as características gramaticais (a concordância gramatical entre substantivos e adjetivos é outra característica compartilhada entre as línguas românicas).

A maioria das etimologias das línguas românicas provém do latim e numa escala menor do grego. Neste sentido, deve-se levar em conta que a civilização romana foi fundada sobre os valores e tradições da cultura grega.

Da expansão do latim ao surgimento das línguas românicas

A civilização romana estendeu seus vastos domínios pelo Mediterrâneo. A presença militar foi acompanhada pela expansão cultural em vários e grandes territórios. Desta maneira, o latim se tornou o principal veículo de comunicação na bacia do Mediterrâneo.

Quando os romanos se misturaram com os povos nativos da Península Ibérica houve um processo de dominação e, ao mesmo tempo, de intercâmbio cultural. Os habitantes da Hispânia foram aprendendo a língua da civilização dominante, o latim.

No entanto, seu modo de falar era peculiar, pois havia uma fusão entre as línguas nativas originárias e o latim. Esta forma de falar era conhecida como latim vulgar e se espalhou por toda a Hispânia. Assim, o latim em sua versão vulgar é a origem remota do espanhol e das diferentes línguas românicas.

Enquanto os povos submissos se comunicavam em latim vulgar, uma minoria da população utilizava o latim culto. Esta versão também era empregada na escrita, mas quando findou o Império Romano deu início a um lento processo de declínio do latim culto. Desta maneira, por volta do ano 1000, na Península Ibérica, o espanhol já era falado e escrito em sua versão antiga.

Imagem: Fotolia. francescodemarco

Relacionados:

  1. Língua Oficial
  2. Vernáculo
  3. Interlíngua
  4. Dígrafo
  5. Língua Morta
  6. Empréstimo Linguístico
  7. Artigo
  8. Macrolíngua
  9. Eurásia
  10. Alfabeto Fonético Internacional