Século das Luzes - Conceito, o que é, Significado

O século XVIII passou para a história como o Século das Luzes, na Europa, graças à força de uma nova mentalidade marcada pela influência da cultura e o desejo de conhecimento como forma de humanismo essencial. Há um fenômeno que fez história neste contexto: o Iluminismo, na França. Uma corrente que potencializa o poder da razão como forma de alcançar a verdade dos ideais. Além disso, o Iluminismo mostra um forte desejo por democratizar o conhecimento através do acesso à cultura para a sociedade.

Iluminismo francês

Este movimento é holístico porque teve um impacto científico, político, literário, artístico, social e filosófico. A grande obra do Iluminismo é a Enciclopédia, conhecida por figuras de renome como Voltaire, Rousseau, Diderot e Montesquieu, que trabalharam por um objetivo comum. O Iluminismo foi um ponto de inspiração para outros países da Europa.

O Iluminismo agrega valor ao poder da razão através de um racionalismo que exalta a forma lógica do conhecimento da realidade. Esta corrente é também humanista porque luta pela busca da felicidade humana como um bem inerente ao próprio ato de viver, ou seja, como um desejo de realização pessoal que vem acompanhado pelo desejo de conhecimento em si. Isto é, conhecer a verdade é ser feliz porque a cultura é um alimento da mente.

A razão é a luz do saber

O Século das Luzes é um nome metafórico que se refere à razão sendo uma luz que serve para alcançar o conhecimento e compreender o mundo através de um olhar marcado pelo desejo de superação. Por exemplo, no momento em que a razão é fundamental como base da ciência, a superstição ficou totalmente excluída.

Do ponto de vista político, o Século das Luzes também lutou contra qualquer forma de absolutismo para defender a importância de um sistema de governo que busca o bem comum da sociedade. Da mesma forma, a separação de poderes é fundamental para tomar decisões justas dentro de um sistema de governo.

O Iluminismo observa também a natureza como uma obra perfeita da qual o ser humano faz parte. Rousseau acredita que "o homem é bom por natureza". A partir desta perspectiva, é um humanismo otimista em relação a uma boa natureza do coração humano.

Imagem: Fotolia. okalinichenko

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: