Canonização - Conceito, o que é, Significado

Publicidade

A igreja católica acredita que o legado de algumas pessoas merece um reconhecimento especial pela vida que levaram. Este reconhecimento é conhecido como canonização. Assim, o fato de que alguém seja canonizado significa que, de maneira oficial, a igreja católica proclama como modelo de conduta e referência moral e espiritual todos os católicos.

Publicidade

A origem da canonização

Nos primeiros séculos da era cristã os mártires se destacaram por sua integridade e coragem. O maior tributo que poderia receber um mártir era mencionar seu nome durante a missa, ou melhor, na principal parte da celebração da missa. Assim, a veneração dos fiéis aos mártires forma a origem da canonização.

Publicidade

Durante séculos a Igreja Católica deixou de aplicar normas estritas para a canonização, pois era suficiente a fama do mártir para conseguir este tributo. Neste sentido, as pessoas canonizadas eram normalmente missionárias, monarcas, cristãos, bispos ou fundadores de ordens religiosas.

Do ponto de vista histórico, a primeira canonização oficial da Igreja Católica ocorreu no ano de 993, onde Ulric de Augsburg foi declarado como santo.

O processo de canonização na atualidade está sujeito a certas normas estritas

Para que alguém seja reconhecido com esta distinção é necessário cumprir uma série de requisitos:

1) o processo de documentação para creditar oficialmente a santidade de alguém não deve começar nunca antes dos cinco anos após sua morte; esta regra geral só pode ser quebrada por decisão do Papa, por exemplo, a Madre Teresa foi canonizada três anos após sua morte porque assim declarou João Paulo II;

2) a proposta de canonização deve ser apresentada ao bispo diocesano do local de falecimento do candidato e neste proposta se deve documentar a biografia do mesmo, assim como uma lista de possíveis testemunhas que possam creditar as excepcionais qualidades do candidato (esta fase do processo é conhecida como investigação diocesana);

3) durante o tempo de duração do processo, a igreja nomeia um relator que é responsável por supervisionar todos os assuntos relacionados à documentação da canonização;

4) após finalizar seu trabalho, o relator apresenta suas conclusões a uma comissão de teólogos peritos, que devem aprovar ou não a canonização do candidato.

Em alguns casos, após o reconhecimento de canonização ocorre a beatificação. A pessoa beatificada se torna um beato.

Imagem: Fotolia. Gstudio

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: