Conceito » Filosofia » Autoridade Moral

Autoridade Moral - Conceito, o que é, Significado

Algumas pessoas são especialmente respeitadas porque mantêm um comportamento exemplar ou então porque se destacam pela conexão entre o que dizem e o que fazem. Estes indivíduos podem tornar-se uma autoridade moral para as pessoas ao seu redor e para o conjunto da sociedade.

Na maioria das áreas profissionais existe uma escala hierárquica onde um ou vários chefes exercem o poder, consequentemente, têm certa autoridade sobre seus subordinados. Isto não quer dizer que o mandatário da empresa ou entidade tenha autoridade moral, pois esta condição não depende da escala hierárquica, mas sim das qualidades humanas do indivíduo.

Um indivíduo com autoridade moral é aquele que se compromete com suas ideias e valores até as últimas consequências.

Trata-se de uma pessoa que tenta ser coerente e, consequentemente, não expressa contradições entre o que faz e o que diz. Em suma, a autoridade moral é um status que alguém possui por causa de sua trajetória ética e de seus valores. Esta categoria pode ser alcançada por ser justo nas decisões, por adotar uma conduta honrosa e por realizar ações voltadas para o bem.

Um indivíduo corrupto, hipócrita e sem princípios pode ter sucesso em sua vida pessoal e profissional, mas não faria sentido ser considerado uma referência moral.

Três exemplos históricos de autoridade moral que acabaram tragicamente

Sócrates promoveu o debate filosófico entre os atenienses e defendeu com paixão a busca pela verdade e o respeito às leis.

Mahatma Gandhi foi o líder político que levou a Índia à independência. Foi um homem pacífico que defendia a não violência como arma que devia acompanhar a desobediência civil de seu povo. Sua atitude o levou à prisão e a todo tipo de sofrimento. Tornou-se o principal líder da Índia porque exercia autoridade moral sobre os demais.

Martin Luther King era radicalmente contrário à segregação racial dos negros nos Estados Unidos. Sua posição firme era realmente incômoda, na verdade, sofreu todo tipo de ameaças.

Nos três personagens mencionados há várias coincidências: eram guiados por firmes convicções, todos foram referências morais para seus seguidores e os três acabaram morrendo tragicamente (Sócrates foi obrigado a tomar cicuta após submeter-se a um julgamento repleto de irregularidades, já Gandhi e Lutero foram assassinados).

Na civilização da Roma Antiga

Para os romanos, a auctoritas era uma virtude que algumas pessoas ou instituições possuíam. Esta qualidade lhes dava certo poder moral sobre o conjunto da sociedade. Neste contexto, os membros do Senado deveriam ser pessoas com honra, com senso de justiça e dignos de respeito.

Imagens Fotolia: Nuvolanevicata, Lorelyn Medina

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: