Conceito » Promiscuidade

Promiscuidade - Conceito, o que é, Significado

A promiscuidade é conhecida como o ato de manter relações sexuais de maneira simultânea com pessoas estranhas e diferentes, das quais não se estabelece normalmente um relacionamento duradouro e amoroso.

Manutenção de relações sexuais com várias pessoas ao mesmo tempo e mistura desorganizada de diversos elementos

A descrição acima é, sem dúvida, a mais difundida e utilizada deste termo, no entanto, pode também ser usado para referir-se a uma mistura desordenada de vários elementos, mas claro que a associada à questão sexual é a mais popular e difundida dos seus usos.

O sentido vinculado ao sexual propõe uma prática frequente de relações sexuais com pessoas diferentes que normalmente não são os parceiros ou parceiras estáveis.

Portanto chamamos de promíscuo ou promiscua a pessoa que apresenta este tipo de comportamento sexual descrito.

Um comportamento moralmente questionado pela maioria que apresenta variantes de consideração de acordo com a cultura

Quando se fala sobre promiscuidade é impossível separá-la de uma conotação moralmente negativa, especialmente para um grande número de pessoas que consideram correto o fato de manter relações com apenas uma pessoa da qual se mantém uma relação estável e por promover o valor fidelidade.

Para citar um exemplo concreto, percebe-se a promiscuidade através de uma pessoa que tem relação sexual com outra qualquer que acabou de conhecer no mesmo dia ou na mesma noite.

É importante dizer também que a consideração que se faz sobre a promiscuidade ou não variam de uma cultura para outra. Esta avaliação causa impacto em relação à idade da pessoa e ao sexo da pessoa, entre as principais questões. Neste sentido, deve-se dizer que por causa da cultura machista estabelecida em várias culturas, a mulher é protagonista de atos de promiscuidade e costuma ser condenada socialmente de forma mais rigorosa que se fosse em relação ao homem. Ou seja, é bem visto pela cultura machista que o homem mantenha várias relações ao mesmo tempo com diferentes mulheres, diferentemente da mulher.

A promiscuidade é vista normalmente de maneira negativa em termos sociais, pois envolve não só a falta de estabilidade emocional e ausência de maturidade das pessoas exigida em determinadas fases da vida, mas também pode promover certos e graves riscos à saúde daqueles que se comportam de maneira negligente sexualmente. É notório que a promiscuidade tenha como desencadeante a propagação de certas doenças que se transmitem apenas através de fluídos genitais e que, em alguns casos, podem ser muito graves como nas doenças de HIV ou AIDS e sífilis.

A abertura sexual nos anos 60 deu lugar à promiscuidade e também às consequências que trazem à saúde através do contágio de doenças sexualmente transmissíveis

Embora a ideia de promiscuidade estivesse por muito tempo ligada aos padrões sociais estabelecidos pela monogamia como principal elemento de controle social a fim de evitar e limitá-la o quanto antes, hoje em dia, a promiscuidade é muito mais permeável a diferentes tipos de controle ou vigilância estatal. Isso tem a ver com a grande abertura sexual ocorrida no Ocidente a partir dos anos 60, uma abertura entendida por muitos como libertação social e privação da vida sexual, já por outros vista como libertinagem e depravação.

A promiscuidade, hoje em dia, pode ocorrer em todos os níveis da sociedade, sem importar-se com o grupo de pessoas que pertence. Ela também pode estar presente em pessoas de diferentes idades: por pessoas com mais de trinta anos que já se consideram bem resolvidas e com uma situação bem clara e definida. Finalmente, na atualidade, a promiscuidade não é mais fenômeno privativo de um sexo ou outro; ela é muito mais ampla e inclui novas formas de sexualidade que têm a ver com o interesse pela experimentação sexual.

Por outro lado, religiões como cristianismo e judaísmo, ainda hoje, condenam e desaprovam de modo inquestionável o comportamento promíscuo.

O maior problema que a promiscuidade pode trazer hoje em dia é justamente o que já foi descrito acima, o surgimento de uma série de doenças e estados de saúde que podem facilmente complicar a vida de uma pessoa. Algumas destas doenças adquiridas sexualmente são crônicas e por mais que a pessoa corrija suas formas de relação em termos sexuais, elas ainda continuam presentes.

Imagem: Fotolia. happy_e

Relacionados:

  1. Estupro
  2. Casais Sorodiscordantes
  3. Poliamor
  4. Hipersexualidade
  5. Escala Kinsey
  6. Castidade
  7. Efeito Coolidge
  8. Eunuco
  9. Virgindade
  10. Mistura