Conceito » Política » Ordoliberalismo

Ordoliberalismo - Conceito, o que é, Significado

A maioria de definições sobre o ser humano converge em uma ideia básica: o homem é um animal social. Isto significa que a nossa natureza só pode ser compreendida dentro do contexto de uma sociedade. Neste sentido, diversos tipos de sociedades surgiram da antiguidade e vão até hoje. Cada um apresenta diferentes formas de organização.

Após séculos de absolutismo durante a Idade Média e o Renascimento, no século XVII, um inglês chamado John Locke teorizou sobre um novo paradigma: o liberalismo político.

Esta doutrina se baseia na proteção à propriedade privada, no individualismo, na liberdade e igualdade perante a lei

Dois séculos mais tarde um filósofo escocês chamado Adam Smith adaptou esta ideia para a economia e assentou as bases do liberalismo econômico. Esta corrente defende a liberdade nos mercados, a livre concorrência e a mínima atuação do estado na atividade econômica. Adam Smith registrou o rótulo metafórico da mão invisível para explicar seu modelo econômico.

Um poder não concreto, a mão invisível, é a responsável por regular a economia no lugar da intervenção direta do Estado. A participação desta força invisível é a que organiza o fluxo da atividade econômica em seu conjunto, ou seja, os diferentes preços, a concorrência no mercado e a prosperidade da sociedade em geral.

A tese principal do ordoliberalismo

No início do século XX, os economistas da Escola de Friburgo, na Alemanha, lançaram as bases da ordoliberalismo. Sua principal abordagem consiste em corrigir os excessos do liberalismo no quadro do capitalismo. A doutrina do ordoliberalismo surgiu como resposta às duas grandes crises na Alemanha: a derrota militar da lª Guerra Mundial e, posteriormente, o desastre provocado pelo nazismo.

O máximo representante do ordoliberalismo foi Walter Eucken, que defendia um liberalismo social baseado nos princípios próprios do liberalismo, mas com políticas intervencionistas promovidas pelo Estado. Segundo a doutrina ordoliberal, o estado deve ter como principal função manter as melhores condições no mercado, principalmente evitando os monopólios e os oligopólios. A intervenção do Estado deve ser realizada através de instituições, como um Banco Central que regule a política monetária sem a participação direta do Estado.

O ordoliberalismo na atualidade

Aproximadamente há uma década a economia alemã passou a dirigir suas abordagens através do ordoliberalismo. Isto implica uma redução drástica da dívida pública, um controle da inflação e medidas de austeridade.

A Alemanha é hoje em dia um dos motores da União Europeia e um protagonista de primeira ordem na economia mundial. E tudo isso tem relação direta com os postulados do ordoliberalismo.

Imagem: Fotolia. Thomas Bethge

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: