Dequeísmo - Conceito, o que é, Significado

O dequeísmo é um dos erros gramaticais mais comuns em nosso idioma. O dequeísmo e o queísmo acontecem normalmente em algumas orações subordinadas. Ambos os erros se manifestam tanto na linguagem oral como na escrita e aparecem em toda América Latina.

A ideia fundamental do dequeísmo e alguns exemplos ilustrativos

O dequeísmo consiste em utilizar de maneia desnecessária a preposição “de”. Na oração “Acredito de que você não tem direito” acorre um dequeísmo, já que a preposição “de” não deveria ser empregada nesse caso, uma vez que o correto seria “Acredito que você não tem direito”.

Normalmente o dequeísmo descumpre uma regra geral da sintaxe, aquela segundo a qual não se deve empregar uma preposição diante de um sujeito. Quando digo “É seguro de que ganhou a partida” estamos diante de uma oração subordinada substantiva de sujeito, portanto o correto seria “É seguro que ganhou a partida”.

Um dos casos mais comuns de dequeísmo é aquele que substitui uma preposição correta pela preposição “de”. Assim, na oração “Confio de que o caderno esteja em seu lugar” a preposição “de” é desnecessária, já que deveria ser empregada nesse caso a preposição “em”, ou seja, “Confio em que o caderno esteja em seu lugar”.

Os dequeísmo também cometem algumas locuções (lembrando que locução é um conjunto de palavras que funcionam como se fosse apenas uma palavra). Desta maneira, a locução “a não ser de que” seria um caso de dequeísmo, pois deveria ser “a não ser que”.

Deve-se destacar que nem todos os dequeísmos são um erro, já que em algumas ocasiões as preposições “de” e “que” podem estar juntas, como acontece na seguinte oração: “Encima de que você se queixa”.

Causas do dequeísmo

Não há uma única razão que provoque este erro. Na verdade, são vários os motivos. Por um lado, os falantes têm a tendência de economizar palavras. Outra causa é paradoxal, pois acontece por um viciado em falar corretamente que com esta atitude acaba falando errado. Obviamente, o uso inadequado da sintaxe é também outra causa de dequeísmo.

O queísmo

O queísmo acontece pelo exagero do pronome relativo “que”, como na frase “A política no Brasil é constituída por políticos que não são honestos”, que pode ser substituída pela oração: “A política no Brasil é constituída por políticos desonestos”.

Imagem: Fotolia. Last Word

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: