Conceito » Religião » Contrição (ato de contrição)

Contrição (ato de contrição) - Conceito, o que é, Significado

Muitas vezes tomamos certas atitudes das quais não estamos satisfeitos. Quando isso acontece, pode-se dizer que nos sentimos arrependidos e culpados. No contexto da fé cristã, o ato de arrepender-se de mau comportamento é conhecido como ato de contrição.

Com certa frequência esta palavra é escrita incorretamente, pois sua grafia correta é "contrição" e não "contricção". Este termo vem do latim contritio, que significa "dor por ter pecado". Para mencionar uma pessoa que experimenta a contrição, utiliza-se a palavra contrita, que equivale aos termos aflito, pesaroso, compungido e arrependido.

Seu significado no contexto da fé cristã

No cristianismo, os fiéis são considerados pecadores. Neste sentido, vale lembrar uma das ilustres afirmações de Jesus de Nazaré: "Quem está livre de pecado que atire a primeira pedra". O cristão deve reconhecer seus erros e pecados, pois são eles que ofendem a Deus.

No entanto, o reconhecimento dos mesmos não é suficiente, mas deve vir acompanhado de um ato de arrependimento sincero, o ato de contrição.

Para que o ato de contrição faça sentido é necessário cumprir certos requisitos. Em primeiro lugar, o erro ou o pecado cometido devem ser aceitos. Em segundo lugar, que haja a vontade do arrependimento. Por último, que exista o propósito de não repetir o mesmo comportamento desviante, desta maneira, fala-se do propósito de emenda.

Em resumo, trata-se de um ato de humildade que geralmente vem acompanhado de uma oração da qual se pede perdão a Deus. Com o pedido de perdão, o crente pretende encontrar a graça de Deus. Em outras palavras, com contrição, busca-se uma nova conexão espiritual do homem com Deus. Por este motivo, os teólogos cristãos acreditam que o ato de contrição é um rito de reconciliação.

Na maioria dos casos este rito ocorre no ato da confissão, pois é o momento em que o fiel expõe seus pecados e se arrepende dos mesmos para obter o perdão do sacerdote.

O ato de contrição não deve ser confundido com remorso

Dizemos que nos arrependemos quando cometemos um erro e estamos cientes disso. No entanto, o remorso não costuma vir acompanhado do arrependimento sincero associado ao ato de contrição.

Fala-se de espírito contrito quando não há apenas um remorso profundo, mas sim quando há um desejo sincero de não cometer o mesmo erro.

Imagens Fotolia. Bigmen - Tomsickova

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: