Conceito de Relações Sociais

Lilén Gomez | Outubro 2022
Professora de Filosofia

Em termos gerais, as relações sociais são os vínculos que existem entre os indivíduos dentro de uma determinada sociedade. Segundo a sociologia clássica, por exemplo, seguindo o trabalho de Pierre Bourdieu (1930-2002), essas relações são condicionadas por diferentes estruturas, que ultrapassam a vontade dos agentes sociais. Bourdieu concebe a sociedade como um sistema, dentro do qual as relações sociais se organizam como relações de poder, que compõem um ambiente. Dentro deste ambiente, portanto, as relações sociais se configuram sobre grupos em conflito, que disputam orientações e objetivos.

Na medida em que os ambientes se estruturam de forma hierárquica, dado que há grupos que imprimem neles suas próprias orientações, as relações sociais são condicionadas pela desigualdade das forças em disputa. Tal desigualdade responde às diferentes possibilidades de acesso a recursos, influências, alianças, a legitimidade de cada grupo, entre outros fatores. Assim, as estratégias pelas quais uma posição é tomada dentro de um ambiente podem variar ao longo da história.

Relações sociais e poder

As relações sociais são estabelecidas por meio de dinâmicas em permanente construção e reconstrução. Estas podem ser conceitualizadas a partir da correlação entre as categorias de ação, estratégia e instituição, levando em conta a articulação dessas três categorias com a do poder. A partir de tal configuração, é possível identificar certas características especiais das relações sociais entendidas de maneira geral, dando origem a uma tipologia mais específica dos fenômenos sociais.

Em primeiro lugar, a categoria de instituição é entendida como aquela estrutura que atua na modulação do comportamento dos indivíduos de acordo com normas previamente estabelecidas. As instituições recorrem ao poder para organizar os modos de vida do grupo social.

Por outro lado, fora das instituições, estão as estratégias e ações. As estratégias caracterizam-se por atender a problemas particulares de poder, seguindo um plano de execução deliberado e orientado para um determinado objetivo. Estratégias são conjuntos de ações voltadas a objetivos particulares, para a modificação ou reprodução de situações específicas. Quando uma estratégia é mais eficaz em atingir seus objetivos do que as demais estratégias rivais, então ela prevalece sobre o todo, determinando uma orientação para o processo social em questão.

Em geral, as estratégias buscam se impor no curso aleatório dos acontecimentos sociais. No entanto, o movimento estratégico, como tentativa de racionalização, pode fracassar no esforço de manter sob controle as incertezas próprias do ambiente social. As estratégias supõem forças em luta dentro do ambiente, que passam a ocupar um posição hierárquica em virtude de uma maior parcela de poder, ou seja, da capacidade de efetivar seu projeto desenhando dos passos a seguir para atingir o objetivo em um determinado período de tempo.

Finalmente, a categoria de ação social, desenvolvida principalmente pelo sociólogo Max Weber (1864-1920), consiste em uma ação que se orienta segundo a existência de outra, daí seu caráter social. A ação social, nessa perspectiva, é a unidade fundamental a partir da qual se constroem as relações sociais, que então se organizam segundo estratégias (determinando-se como uma ação teleológica) e instituições (como ação regulada por normas). Em certo sentido, toda ação é sempre social, pois não é possível que ela ocorra sem outra ação e independentemente da rede de relações sociais, configurada sob estratégias e instituições. Em última análise, toda ação é realizada dentro de um ambiente de forças, de modo que sempre exige uma cota de poder para ser realizada.

Os três níveis mencionados (ação, estratégia e instituição) relacionam-se reciprocamente. Embora a instituição mantenha uma tendência à estabilidade, a estratégia e a ação, que nela se inscrevem bem como a modificam, adquirem um caráter bem mais dinâmico. A ação social é o que "atualiza" a norma, tornando-a real no contexto concreto e, assim, reproduzindo-a ou transformando-a, no marco das relações sociais.

Artigo de: Lilén Gomez. Professora de Filosofia, com desempenho em ensino e pesquisa em áreas da Filosofia Contemporânea.

Referencia autoral (APA): Gomez, L.. (Outubro 2022). Conceito de Relações Sociais. Editora Conceitos. Em https://conceitos.com/relacoes-sociais/. São Paulo, Brasil.

Copyright © 2010 - 2023. Editora Conceitos, pela Onmidia Comunicação LTDA, São Paulo, Brasil - Informação de Privacidade - Sobre