Conceito » Religião » Kosher

Kosher - Conceito, o que é, Significado

As duas palavras hebraicas, kosher e cashrut, se referem às normas culinárias do povo judeu. Estas normas provêm dos textos sagrados, mas de modo especial do Levítico. Desta forma, quando um alimento é kosher significa que seu consumo está autorizado para a comunidade judaica. As leis alimentares são rigorosas, mas nem todos os judeus as seguem.

As proibições culinárias têm um significado espiritual

Para os judeus os alimentos são divididos em duas categorias: puros e impuros. Do ponto de vista religioso, a comida que ingerimos nos permite que a alma humana possa conviver dentro do corpo em harmonia.

A comida kosher não é simplesmente a correta ou a adequada, já que este conceito também serve para garantir a qualidade dos alimentos.

A carne de porco não é permitida na religião judaica, pois o porco é um animal impuro que se alimenta de qualquer alimento. Pode-se consumir a carne de animais ruminantes com cascos divididos, não se pode comer a carne do coelho, da cobra e de algumas aves. Nem mesmo do camelo, pois apesar de ser um ruminante seu casco não está partido.

Em relação aos alimentos de origem aquática, podem-se consumir aqueles que têm barbatanas e escamas.

Outras normas complementares

Os animais consumidos devem ser sacrificados segundo um ritual (shejitá). Assim, o animal não pode morrer por causa natural ou doença, sendo obrigatório o sacrifício com um único corte profundo na garganta através de uma faca (além da shejitá, os estabelecimentos judaicos garantem que a carne vendida não possui nenhum tipo de hormônio).

O animal sacrificado deve ser sangrado, pois seu sangue é igualmente impuro. Por outro lado, a gordura de algumas partes do corpo também deve ser eliminada.

Da mesma forma, a carne e os produtos derivados do leite não podem ser consumidos conjuntamente. O vinho elaborado com a técnica da pisa também não é aceito pelos rabinos.

O controle de qualidade oferece garantias máximas

Todos os produtos kosher estão livres de hormônios ou de qualquer procedimento transgênico. O controle de qualidade dos alimentos é supervisionado de maneira exaustiva.

Na maioria dos territórios onde há grandes comunidades judaicas, existem estabelecimentos especializados.

Os certificados de qualidade podem ser estendidos a qualquer tipo de produto (por exemplo, no México a tequila kosher é comercializada e desta maneira o consumidor sabe que a planta da qual é obtida não tem pragas).

Imagem: Fotolia. merydolla

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: