Conceito » Cultura » Esperpento

Esperpento - Conceito, o que é, Significado

No campo da criação literária o gênero esperpento é genuinamente espanhol. Na verdade, seu criador foi um dos representantes da Geração de 98, Ramón María del Valle Inclán. Este romancista, poeta e dramaturgo criou seu próprio universo literário, o esperpento.

Principais características

Destaca-se por sua visão distorcida da realidade. Assim, comparado com a descrição realista e customista, este gênero descreve uma realidade distorcida.

O conteúdo esperpêntico tem como finalidade criticar a sociedade. A deformação da realidade pretende ser uma reflexão sobre a decadência da sociedade espanhola.

A linguagem deste gênero é especialmente singular e se encontra repleta de idiomáticas populares e da fala coloquial na vida cotidiana.

As histórias de Valle Inclán não são pura ficção, pois mostram também a realidade espanhola de sua época como cenário de fundo.

Em suma, o esperpento está presente na linguagem, nos personagens e na ambientação de uma Espanha decadente.

Max Estrella e Don Latino, dois personagens típicos do esperpento

Os personagens de Valle Inclán são indivíduos marginais, estranhos e hiperbólicos. Entre eles sobressai o protagonista de sua obra teatral "Luces de Bohemia", Max Estrella. Trata-se de um poeta que ficou cego, que vive na miséria e que combina covardia e grandeza de espírito. Sua vida transcorre nos ambientes boêmios de Madri. O antagonista da obra é Don Latino de Hispalis, uma espécie de cão-guia de Max Estrella, que se destaca por seu cinismo e atitude desonesta.

O que é o esperpêntico?

A palavra que analisamos não descreve apenas o universo literário de Valle Inclán, já que em espanhol esperpêntico equivale a algo que chama atenção por sua raridade. As situações e as pessoas que recebem esta qualificação são geralmente ridículas, absurdas e grotescas.

Na linguagem cinematográfica e no humor são descritas situações esperpênticas com o fim de provocar uma reação no público. A realidade distorcida se apresenta normalmente como uma espécie de sátira amável, mas em seu interior há uma evidente crítica social.

No mundo do cinema, alguns filmes do diretor espanhol Luis García Berlanga pertencem a esta tradição. Em seu filme "O carrasco", podemos encontrar alguns dos ingredientes genuínos do esperpêntico: personagens atípicos (dois de seus protagonistas são um carrasco prestes a aposentar e o outro é um empregado do serviço funerário), uma história de amor com elementos tragicômicos e uma dura crítica à pena de morte.

Imagem Fotolia: Krimzoya46

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: