Contubérnio - Conceito, o que é, Significado

O termo contubérnio vem do latim contubernium e significa aliança ou pacto com algum propósito ilegítimo. Assim, quando se afirma que há contubérnio contra alguém significa que algumas pessoas se aliaram para prejudicar outra. Deve-se ressaltar que não se trata de uma aliança no bom sentido do termo, mas sim com um propósito claramente negativo.

Um cultismo em desuso

A palavra contubérnio é utilizada normalmente no sentido depreciativo, pois dá a entender que há algum tipo de conspiração ou complô contra uma pessoa, instituição ou nação. Pode-se considerar que contubérnio é um cultismo, uma vez que na linguagem cotidiana há sinônimos que expressam a mesma ideia e são empregados com mais frequência, como mostram as palavras complô, conchavo, conspiração, maquinação, confabulação, entre outras.

O contubérnio judaico-maçônico durante o franquismo

Na história da Espanha o termo franquismo se refere ao período na qual o ditador Francisco Franco esteve no poder após a Guerra Civil Espanhola. Este período abrange desde 1939 até o falecimento do ditador no ano de 1975.

Ao mesmo tempo, o regime político instaurado na Espanha durante esse período é conhecido como franquismo.

Da mesma maneira que ocorre na maioria dos regimes ditatoriais, os mandatários colocam em prática uma política de propaganda e controle dos meios de comunicação

Assim, para manipular a opinião pública e distrair a atenção dos problemas reais, o regime franquista “inventou” uma série de inimigos que queriam destruir o país. Estes inimigos eram os judeus e os maçons e para comunicar que estes grupos conspiravam contra a Espanha, surgiu um termo impactante: o contubérnio judaico-maçônico. Após isso surgiu outro grupo ameaçador: os comunistas.

Desta maneira, os responsáveis do regime franquista podiam atribuir qualquer problema real à conspiração permanente dos judeus, maçons ou comunistas. O assunto contubérnio durante o franquismo continua sendo motivo de debate na atualidade, com isso há basicamente duas versões:

1) trata-se de uma invenção ou de um exagero do regime para manipular a informação;

2) na realidade houve certa conspiração de alguns setores contrários à ditadura.

Independentemente das interpretações históricas sobre o contubérnio, há um dado histórico indiscutível: Francisco Franco tinha obsessão pessoal contra os maçons, estes que eram considerados os maiores inimigos da Espanha, inclusive mais do que os próprios comunistas.

Imagem: Fotolia - snegiri

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: