Edafologia - Conceito, o que é, Significado

A edafologia é a ciência que estuda o solo, sua origem e evolução assim como seus processos físicos, químicos e biológicos. Para este fim, há uma variada metodologia de trabalho que destaca a realização de perfis geológicos e análises físicas, químicas e sedimentológicas. Além disso, entre as ferramentas mais comuns utilizadas na Edafologia estão os mapas localizados, cartografias específicos e uma taxonomia específica para cada tipo de solo.

Os estudos realizados pelos especialistas desta ciência apresentam diversas aplicações, mas sempre com o objetivo claro de resguardar e proteger o solo como recurso, evitando toda erosão, degradação ou contaminação.

Classificação dos solos

A partir de suas características gerais, a edafologia é capaz de dividir o solo em várias classes. Sua classificação mais comum pode ser realizada de acordo com as composições e morfologias apresentadas pelo solo, dando ênfase às propriedades que são mensuráveis ou que podem ser observadas ou sentidas. Assim, por exemplo, os solos podem se agrupar conforme sua profundidade, cor, estrutura, textura, composição química, etc.

Por outro lado, na maioria dos casos, os solos apresentam uma série de camadas características denominadas horizontes, das quais é uma ferramenta básica para sua classificação. Desta maneira, a natureza, a espessura e a disposição dos horizontes também permite classificar os solos em diferentes grupos.

Precursores da Edafologia

O estudo do solo é algo que tem preocupado o homem há muito tempo, embora a edafologia não a reconhecesse como ciência. Porém, há uma série de estudiosos que podem ser chamados de precursores da edafologia.

Este é o caso do romano Catão, que no século II a.C., realizou a primeira classificação do solo. Mesmo assim, o escritor mais importante desta época foi sem dúvida Columela, que deixou para a história inúmeros trabalhos analisando as características do solo junto com diversas classificações segundo seu valor para a agricultura.

Posteriormente, já no século VII d. C., seria o sábio andaluz Ibn al-Awwan que continuou o trabalho dos sábios anteriores apresentando novas e mais completas classificações.

Porém, a verdadeira revolução chegou ao século XVIII quando Walerius introduziu a química no estudo do solo. Em seus estudos, Walerius analisava as plantas comparando com seus resultados com a análise química dos solos que germinavam, servindo de base ao posterior desenvolvimento da indústria agrícola moderna.

Imagem: iStock. Vladimir Popovic

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: