Compulsão - Conceito, o que é, Significado

O termo compulsão é utilizado na maioria das vezes em relação ao estudo da conduta humana. De maneira geral, a compulsão é o desejo incontrolável de fazer algo. Em outras palavras, pode-se dizer que é a obsessão por algo ou a repetição excessiva. No uso cotidiano da linguagem podemos realizar certas afirmações como as seguintes: “Sente compulsão por álcool” ou “Sua compulsão por sexo pode lhe trazer problemas sociais”. Óbvio que este tipo de comportamento é anômalo e por isso é estudado pela Psicologia.

A ideia de compulsão também é expressa com o termo “condutas compulsivas”, assim, normalmente é aplicada aos vícios tradicionais como o tabaco, álcool, sexo e comida ou em relação a alguns transtornos mentais.

Transtorno obsessivo compulsivo

Quando as manias se transformam em obsessão descontrolada, o indivíduo que sofre dessa condição geralmente apresenta também angústia e agitação. A pessoa que padece de transtorno obsessivo compulsivo pode repetir uma ação por várias vezes, por exemplo, lavar as mãos cinquenta vezes por dia ou tomar medidas extremas de forma contínua para evitar a contaminação.

Os especialistas neste tipo de transtorno consideram que a característica mais comum na maioria dos casos é a repetição de uma ação. Outra característica é de realizar algo como se fosse um ritual. Geralmente quem sofre com esse problema não busca o prazer, mas sim a repetição para diminuir o mal-estar. O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) pode ser amenizado através de uma terapia ou com o uso de medicamentos.

Compulsão na psicanálise freudiana

A psicanálise é um ramo da psicologia que tem sua própria visão da condição humana, das estruturas mentais do indivíduo e de certos aspectos específicos da natureza humana: o papel da sexualidade ou do inconsciente. A psicanálise pode contribuir de modo significativo sobre a compulsão.

A psicanálise como teoria estima que o comportamento compulsivo obedeça a uma ideia: a consideração por parte do indivíduo com este transtorno por cometer um grande pecado ou crime. Para a maioria dos psicanalistas, a repetição obsessiva ou o ritual injustificado é uma maneira inconsciente de autopunição das pessoas que cometeram tal crime.

Segundo a psicanálise, os atos próprios da neurose obsessiva em forma de compulsão são ações cotidianas que inconscientemente pretendem apagar um sentimento de culpa. Este sentimento de culpa que tenta ser apagado com a repetição está voltado à figura do pai porque o mesmo simboliza a imposição das normas sociais e, ao mesmo tempo, é um rival que impede o relacionamento direto do filho com a mãe.

Imagem: iStock, monkeybusinessimages

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: