Siglas - Conceito, o que é, Significado

Existem organizações ou entidades cuja denominação é conhecida popularmente por suas siglas, ou seja, as primeiras letras que formam o nome de certas organizações. Assim, no lugar de dizer Organização das Nações Unidas, pode-se dizer diretamente ONU.

A função das siglas está em dobro: por um lado, servem para simplificar a linguagem; por outro lado, para conseguir maior efetividade comunicativa. É mais fácil dizer PSDB do que empregar o termo completo, Partido Social Democrático Brasileiro. Assim, pode-se afirmar que as siglas servem como um princípio de economia na linguagem.

Do ponto de vista do marketing, o uso das siglas permite identificar melhor uma identidade. Os profissionais do marketing conhecem bem a utilidade das siglas, pois através delas se consegue uma melhor efetividade na comunicação.

Como regra geral, o uso das siglas tem sentido quando se trata de organizações bem conhecidas na sociedade, por exemplo, DRAE, ONG, PIB, IBM, entre outras.

Considerações gerais

Não se deve confundir siglas com abreviaturas, pois a abreviatura é a redução de uma palavra, por exemplo, etc. quer dizer etcétera; A/C aos cuidados e a.C. equivale a antes de Cristo.

Não se pode confundir o conceito sigla com acrônimo, pois o acrônimo existe quando as siglas formam uma palavra (o termo laser é formado pela expressão Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation; ou TIC que significa Tecnologia da Informação e das Comunicações). Desta maneira, todo acrônimo é uma sigla, mas nem toda sigla é um acrônimo.

O uso das siglas na linguagem cotidiana apresenta alguns perigos

O mais comum é assumir que uma sigla é conhecida. Vamos exemplificar: o AVE (modelo de trem) é uma sigla bem conhecida na Espanha, mas não fora do país; os argentinos sabem o significado de DGI, mas o resto do mundo ignora. Outro erro comum é o abuso na utilização das siglas. Assim, se um jornalista escreve “Na ONU os membros do FMI se reuniram para discutir sobre o PIB dos EUA e abordar os problemas da OTAN” estaríamos diante de uma informação tecnicamente correta, mas com excesso de siglas (cinco na mesma frase).

Alguns linguistas advertem sobre o empobrecimento da linguagem como consequência do abuso de siglas. Não se trata de não empregá-las quando é conveniente, mas de ser utilizadas com certa medida.

Uma regra justa para o correto uso das siglas seria levar em conta o contexto da comunicação. Desta maneira, quando sabemos que o interlocutor conhece o significado de certas siglas tem sentido sua utilização. Por exemplo, um médico pode dirigir-se ao outro empregando siglas próprias da especialidade que compartilham, mas na comunicação entre médico e paciente a linguagem é diferente.

Imagem: iStock, mediaphotos

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: