Neoclássico - Conceito, o que é, Significado

O estilo neoclássico, ou neoclassicismo, foi um movimento cultural que se desenvolveu entre meados do século XVIII e nas primeiras décadas do século XIX, sendo percebido em diferentes classes sociais, políticas e artísticas. Seu ponto de partida se situa em uma reação contra os excessos cometidos durante o barroco, especialmente durante sua última época: o rococó.

O neoclássico estabeleceu uma volta aos moldes da antiga Grécia e de Roma, buscando o equilíbrio, a proporção e a harmonia da arte, além do triunfo das ideias liberais na luta contra a intolerância no mundo da política.

Características do período neoclássico

A principal característica desta época é a imitação das antigas obras gregas e romanas. A arquitetura e a escultura neoclássica resgatam essa tradição e as traduzem em obras bem similares àquela época.

Em contrapartida, a pintura, por não ter modelos clássicos a imitar, torna-se a única referência dos antigos destaques que durante esses momentos perderam toda a prática do seu cromatismo, fazendo com que sua maior influência fosse à linha temática a apresentar, sem contribuir com nenhuma novidade em relação à técnica ou ao sistema de representação.

No campo da literatura, a beleza era representada de forma fria, sem alma, dando protagonismo à razão diante dos sentimentos. O reflexo mais claro de tudo isso foi o abandono da produção lírica em favor de outro tipo de obra, na qual prevaleciam os valores educativos e morais diante da fantasia e da imaginação.

Principais artistas neoclássicos

Na história do neoclássico há um nome que se destaca dos demais. Trata-se do italiano Giovanni Piranesi, um gravurista de grande importância, mas que ficou conhecido na história graças aos registros das descobertas arqueológicas romanas daquela época. Assim, sua obra é uma coleção de gravuras que refletem os antigos monumentos romanos, servindo de referência aos demais artistas neoclássicos.

Entre eles vale mencionar dois em especial. O primeiro seria o escultor italiano Antônio Canova, que no auge de sua carreira era o artista de referência de personalidades como o Papa e Napoleão Bonaparte. O segundo é o pintor francês Jacques-Louis David, peça principal da Revolução Francesa e considerado líder artístico da República francesa que posteriormente se tornaria um pintor da corte de Napoleão Bonaparte, deixando para história um magnífico quadro de sua coroação.

Imagem: iStock. Isaac74

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: