Fitoterapia - Conceito, o que é, Significado

FitoterapiaEste é um campo de muito interesse e de constantes análises desde sua origem, muitas vezes questionado e em outras vezes destacado. Basicamente, compreende a manipulação de plantas que proporcionam e expressam substâncias e características com fins na saúde e que pretendem ajudar o corpo humano. No entanto, sua existência retrata as primeiras civilizações existentes. O termo foi utilizado inicialmente por um médico francês em seu estudo sobre terapêutica com plantas. Devido ao descobrimento constante de novas espécies de plantas, foi aprofundado o interesse em conhecer esta disciplina. Desta maneira, existe a possibilidade de encontrar novas soluções para resolver os problemas ligados à área da saúde. Assim, está confirmada pela ciência a existência de princípios ativos nas plantas com a capacidade de afetar as funções do organismo.

Como mencionado anteriormente, o início desta disciplina aconteceu nos primórdios da humanidade. Assim, desde seu aparecimento na face da Terra, o homem pode comprovar a existência de plantas que uma vez ingeridas produzem vários efeitos no organismo. Este tipo de experiência era transmitido dentro da comunidade e foi formando um conhecimento que deixou um legado para gerações posteriores. Este procedimento era fundamentalmente empírico e incerto. Falta ainda muito tempo para um conhecimento sistemático neste sentido.

Até pouco tempo atrás, quase todas as plantas utilizadas na fitoterapia eram silvestres, circunstância perigosa pelo fato de que muitas destas espécies eram confundidas com espécies tóxicas. Na atualidade, a recomendação é focar no cultivo.

Com sua origem há mais de dez mil anos atrás, este conceito teve seu desenvolvimento e suas primeiras palavras na Índia. No entanto, há referências a outras culturas, como a China e a Suméria.

Atualmente, trinta por cento dos fármacos existentes são derivados de plantas, sendo a Europa o mercado que mais concentra este tipo de medicamentos. Em seguida, aparece a Ásia, a América do Norte e o Japão. Assim, o estudo sistematizado deste tipo de orientação em farmacologia resultou em melhorias na produção. Então, são produzidas cada vez mais espécies alteradas para ser mais resistentes e com crescimento maior.

Para finalizar, vale destacar que o uso de plantas medicinais deve ser realizado sob a supervisão de profissionais, uma vez que em alguns casos pode ter efeitos negativos. Deve ser considerado como outro fármaco.

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: