Ambidestro - Conceito, o que é, Significado

A pessoa ambidestra é aquela capaz de desenvolver-se com a mesma habilidade tanto com a mão direita como com a mão esquerda. Deve-se ressaltar que normalmente cada indivíduo tem mais habilidade com uma mão do que com a outra e é pouco habitual a capacidade de utilizar ambas as mãos com a mesma eficiência.

Em relação ao uso das mãos, há três opções. A mais comum é ser destro, na qual consiste em utilizar a mão direita para a maioria das ações tais como escrever, comer, pegar um objeto, etc.

Aqueles que utilizam melhor a mão esquerda são chamados de canhotos e esta possibilidade é menos frequente, por outro lado, historicamente, a prevalência da mão esquerda é considerada um desvio. Curiosamente a palavra esquerdo tem a mesma raiz etimológica que sinistro.

Uma terceira possibilidade é ser ambidestro, circunstância atípica que pode ser considerada uma autêntica raridade. Entre as três possibilidades, apenas a última é avaliada como algo extraordinário e fora do normal.

Por que somos destros, canhotos ou ambidestros?

O hemisfério esquerdo do cérebro controla o movimento da parte direita do corpo e, de maneira inversa, o hemisfério direito regula a atividade da parte esquerda do nosso organismo. Apesar de conhecer grande parte das funções cerebrais, os neurocientistas não têm uma resposta definitiva que explique o porquê somos destros na maioria das vezes (mais de 80% da população mundial).

Uma das explicações para esta questão pode ser o fato de que a capacidade da linguagem se encontra no hemisfério esquerdo e como o ser humano é o único animal que desenvolveu a linguagem, isso explica a prevalência da direita sobre a esquerda. De qualquer forma, continua sendo um mistério o fato da existência de pessoas ambidestras. O que se sabe é que os ambidestros são simplesmente 1% da população mundial, não possuem um hemisfério dominante e, segundo alguns estudiosos, são propensos a sofrer de esquizofrenia e problemas na aprendizagem.

A importância da mão na evolução humana

Do ponto de vista evolutivo, pode-se dizer que a mão tem sua própria “história”. No processo fisiológico de transformação os primeiros seres humanos deram um passo importante quando se tornaram bípedes.

O bipedalismo permitiu que nossas mãos deixassem de atuar como apoio para caminhar e se tornaram ferramentas muito úteis, tanto para pegar alimentos como para manipular objetos. Desta maneira, o aperfeiçoamento da destreza manual é uma das características genuínas da evolução do homem.

Imagem: Fotolia. steheap

Próximo - Conceitos >>

Leitores continuaram: